Minha História

Olá!

Me chamo Débora e tenho 29 anos, sou casada e tenho duas filhas, a Flávia de 12 anos e a Bruna de 11, que não são do meu casamento, mas é como se fossem. 
Sempre fui "gordinha" e ao longo dos anos passei por momentos em que permaneci magra, e aos ruins, os quais voltava a engordar, mas na maior parte das vezes estava obesa.

Tabelinha das Idades:

  • 12 anos: 69 kg
  • 15 anos: 80 kg
  • 17 anos: 112 kg (após o parto da Flávia)
  • 18 anos: 132 kg (após o parto da Bruna)
  • 20 anos: 115 kg
  • 22 anos: 84 kg
  • 24 anos: 126 kg
  • 26 anos: 131 kg (quando casei)
  • 29 anos: 172 kg (atualmente)


Olhando essa tabela dá pra perceber que vivi sob efeito sanfona durante toda minha adolescência até a fase atual.
Até meus 26 anos sempre fui muito animada e os problemas da obesidade não me incomodavam. Por incrível que pareça eu nunca sofri preconceitos, pelo contrário, as pessoas me amavam em todos os sentidos. Eu era sempre sorridente, nada me abalava e estava sempre de alto astral. Saia, curtia, ia para as baladas e ficava sempre com os meninos que eu queria. Ficava até demais (mas isso é outra história! rs).
Fiz de tudo para emagrecer. Dietas loucas, ficava sem comer, tomei suplementos conhecidos, fórmulas, chá de boldo, qualquer coisa que alguém me dissesse que emagrecia, lá estava eu "tentando" um milagre que jamais viria!

No final de 2008 levei meu primeiro "chacoalhão" depois que já estava casada, quando tentei passar pela catraca de um ônibus e não consegui! Fiquei muito sem graça e o cobrador ainda foi gentil dizendo:
"- Não tem problema, pode descer pela frente." - falou com simpatia e abriu um sorriso.
A partir desse dia tudo na minha vida mudou, eu me abalei com isso e fui engordando cada vez mais, pois estava com 141 kg. Nessa época, o Fernando (meu marido) que também é obeso e sabe de todas as minhas dificuldades, recebeu uma ligação do Hospital Mandaqui, perguntando se ele ainda estava obeso e queria fazer a redução do estômago. (Ele havia se inscrito quando tinha 17 anos e somente aos 24 anos que teve a oportunidade). a felicidade dele é indescritível, pois era o sonho da vida dele.. Eu o apoiei de todas as formas, ele fez todos os exames e já estava fazendo o tratamento da H Pylori, iria refazer a endoscopia e marcar a cirurgia, estava na reta final. Porém ele desistiu bruscamente, chorava muito e não queria nem mais ouvir falar sobre a cirurgia. Não comparaceu a mais nenhuma consulta. Eu e todos da família achamos muito estranha sua atitude, pois sabíamos o quanto aquilo era importante para ele. Eu o questionava e ele me dizia que estava com medo e por isso desistiu.

Após 1 ano, no final de 2009, comecei a entrar em depressão, eu estava muito mal um dia e não parava de chorar, ele estava comigo e acabou me contando que não fez a cirurgia por minha causa, pois ficou com medo que eu entrasse em depressão, por ver ele emagrecer e eu não. Foi a maior prova de amor que eu tive!
Nesse momento eu tive mais do que certeza que ele me AMAVA como eu era, sem preconceitos. Nunca ouvi da boca dele que eu estava GORDA, pelo contrário, ele me dizia que precisávamos emagrecer, pela nossa saúde, mas sempre agregava que ele iria me amar de qualquer forma, mesmo que eu pesasse 300 kg.

Trabalho em uma empresa fantástica e sou gestora de operações num call center multinacional e de grande porte. Amo meu trabalho, mas infelizmente em Maio/2010 tive que me afastar, por não conseguir mais realizar minhas tarefas e foi ai que minha depressão piorou. De tanto o Fernando insistir fui procurar ajuda e marquei uma consulta com uma psquiatra. Passei por sessões de psicoterapia e tomei antidepressivos, porém nada adianta, pois até me sinto bem fazendo a psicoterapia, mas quando chego em casa, a minha realidade de obesa não muda. E eu me sinto enfraquecida, por ter tentado emagrecer tantas vezes e sendo mal sucedida sempre. Acabo "afogando" minhas mágoas na comida e foi assim que cheguei ao meu maior peso: 162 kg e IMC de 62. Considerada "Super Super Obesa", com esse IMC minha realidade é cruel, pois não saio de casa, não quero ver ninguém, não me relaciono com meus amigos, simplesmente esqueci de quem eu era e deixei que essa "outra pessoa" tomasse conta de mim. Pensei muitas vezes em suicido, nos momentos de desespero profundo. Não consigo andar e me canso só de falar. Meus pés e pernas incham muito, tenho muitas dores nas costas e braços. Tenho vergonha de sair para comer em algum lugar, pois acho que sempre sou o "centro das atenções". Não consigo nem limpar minha casa. Lavar banheiro, cozinhar, lavar roupa, ou até mesmo varrer o chão são atividades "desafiadoras" para mim, pois se eu fizer qualquer coisa, preciso tomar remédios para dor, deitar e descansar.

No momento em que estava em processo de afastamento da empresa, surgiram duas pessoas em minha vida, que com absoluta certeza foram enviadas por Deus, e me ajudaram muito. Fernanda e Roseli, que de repente se tornaram amigas e me deram a oportunidade de poder recomeçar. Me incentivaram muito a fazer a redução de estômago, e me proporcionaram todas as condições, até que decidi fazer. Fiz todos os exames, passei com a Psicóloga, Nutricionista, Cardiologista e Gastro (cirurgião). Irei marcar minha cirurgia depois de amanhã (29/09/2010). Não tenho palavras para descrever minha sensação...

Nesses dias tenho dedicado meu tempo para ver alguns vídeos de pessoas que já fizeram essa cirurgia e saber um pouco mais da história delas. Foi assim que tive a idéia de fazer o Blog e postar minha história. Acredito que assim como eu, existam muitas pessoas por ai desesperadas por estarem obesas e acharem que estão no fim do poço. Que não há mais volta. Percebi algo em comum nos relatos que li e assisti, que todos unanimemente, tentaram em algum momento serem obesos felizes, mas acabaram frustrados.

O intuito desse Blog é de orientar, informar e alertar contra a Obesidade. Fico por aqui e vou postando mais atualizações, inclusive fotos de antes, durante e depois da cirurgia.

Até breve! 

As Razões da Minha Existência

Namorando em 2007: (110 kg)
 Casando em 2008: (132 kg)
 Hoje em 2010: (50 kg mais Gorda)


Flávia Mylena


Bruna Verônica


Calcule Quantas Calorias Você Gasta em uma Corrida

Este script calcula quantas calorias foram queimadas ou consumidas na atividade de corrida, baseando-se nas informações de peso e distância.

Peso
Distância (Km) Percorridas
Calorias (KCal) Queimadas
Comentários